Dieta sem glúten – O que você precisa saber antes de começar uma!

Não é todo mundo precisa fazer uma dieta sem glúten para ficar saudável ou emagrecer. Saiba o que é o glúten e quem precisa cortá-lo da dieta!

O Glúten é um proteína que é encontrada no trigo, cevada, aveia e malte. Portanto todos os alimentos que tem a farinha de trigo na sua receita contém glúten. Dentre eles os pães, bolos, biscoitos, massas como macarrão e pizza. Alimentos como a aveia, e bebidas como a cerveja e whisky também tem glúten. O gin a vodca e o café, dependendo do processo de fabricação podem conter glúten ou não.

A doença celíaca ou intolerância a glúten são a mesma coisa e estima-se que uma em cada 100 pessoas tem essa doença.

Ao entrar em contato com o glúten, o organismo de uma pessoa que tem doença celíaca começa a produzir anticorpos que agridem a mucosa do intestino causando um espécie de inflamação. O dano causado por essa inflamação faz com que a capacidade de absorção de nutrientes pelo intestino fique prejudicada. O paciente apresenta então diarreia, gases, dores abdominais e sinais de desnutrição. Se o paciente for uma criança seu ganho de peso e crescimento serão prejudicados também.

Alterações ósseas pela deficiência de vitamina D e anemia pela deficiência de ferro podem aparecer nos quadros mais avançados, até mesmo nos pacientes sem sintomas intestinais. Outros sintomas inespecíficos como ansiedade, depressão, irritabilidade e alterações da sensibilidade em mãos e pés podem existir.

O diagnóstico é feito com exames de sangue, na tentativa de detectar a presença dos anticorpos e por endoscopia com a realização de várias pequenas biopsias do intestino na tentativa de achar as alterações características da inflamação. Apesar de não parecer, são exames muitos simples e de baixíssimo risco.

Existem outras duas entidades clínicas que podem ser confundidas com intolerância a glúten, são elas; a alergia ao trigo e a sensibilidade ao glúten não celíaca.

No caso da alergia, os sintomas são basicamente ao de qualquer outra alergia como asma, coceiras e manchas na pele e inchaços, principalmente no rosto. Acontece logo após a ingestão do alimento que contém trigo e requer uma atitude imediata para o tratamento. O paciente tem que procurar atendimento médico imediatamente.

Já a suscetibilidade ao glúten não celíaca é o grande mistério da medicina atual. São aqueles pacientes que na maioria das vezes não apresentam sintomas graves da doença celíaca. Costumam ter leve desconforto abdominal, irritabilidade, insônia, ansiedade, dores de cabeça e podem nem ter perda de peso. Os exames para o diagnóstico da doença celíaca são negativos, mas mesmo assim melhoram dos sintomas quando submetidos a uma dieta com restrição ao glúten. Acredita-se que 6 em cada 100 pessoas tem “essa tal de suscetibilidade ao glúten não celíaca.

Muita gente vem retirando o glúten da dieta para emagrecer. A retirada do glúten com essa finalidade, mesmo quando o paciente não tem a doença celíaca, pode até funcionar. Mas a verdade é que funciona não por que você retirou o glúten mas porque, para tirar o glúten, as pessoas acabam restringindo os pães, as massas, os biscoitos a cerveja e todos os alimentos que além do glúten tem muito carboidratos o portanto muita caloria.

Funciona como em qualquer outra dieta onde você faz restrições e sendo assim, a orientação de um profissional médico ou da área de nutrição é fundamental para que não falte nenhum nutriente importante enquanto essas restrições são feitas.

Cortar o glúten só por cortar não significa ter uma alimentação saudável, e se você tem motivos para desconfiar de que tenha a doença celíaca é fundamental que faça os exames antes de iniciar a dieta sem glúten.

 

Fonte: Info Health